segunda-feira, 16 de julho de 2018

Doando esperança



Quando falamos em doação, normalmente a primeira coisa que nos vem à cabeça são alimentos, vestuário, sapatos e outras coisas materiais.
Geralmente não nos lembramos, num primeiro momento, que existem coisas muito além do quesito material.
Nos esquecemos que podemos e devemos doar amor, atenção, tempo, solidariedade...
Que são ações que possuem um grande valor e dinheiro nenhum compra ou paga.
Mas existe também um tipo de doação que expressa e mostra todo o amor, respeito e gratidão que podemos ter pela vida... E o melhor, pela vida de nosso semelhante.

Estou falando da doação de órgãos!

Um ato de amor em que deixamos nosso desejo de poder ajudar outras pessoas após nossa partida para outro plano (e que dependendo da situação, pode ser realizada ainda em vida, como no caso da doação de Rim, Medula Óssea, Pâncreas, Fígado e Pulmão - estes três últimos sendo uma doação parcial do órgão).
Não há amor maior do que ajudar uma pessoa, dando a ela uma nova chance, esperança, uma nova oportunidade de vida, sendo que a nossa já foi usufruída e nossos órgãos viverão dentro de um novo corpo e levarão muita gratidão e lembranças para os que ficam.

E falando de doação de uma maneira geral, resolvi escrever e homenagear uma pessoa muito especial e querida, um Ser Humano que é um exemplo para todos nós!
Me refiro a Kely Nascimento, que é atriz, produtora e autora.
Ela também é viúva do ator Northon Nascimento e sua vida mudou completamente quando Northon recebe um transplante de coração em Dezembro de 2003.
Com esse acontecimento, nasce o Instituto Renascimento, do qual ela é diretora e onde através da arte, leva esperança, conscientização e informações importantes sobre saúde e doação de órgãos para diversos lugares.

Sob as luzes da ribalta, toda a magia do teatro é usada para tocar a platéia com suas nuances de cores, melodias, textos suaves, vestuários, danças e muita emoção, que nos levam do riso à mais profunda reflexão.Tudo isso para falar de renascimento, qualidade de vida, conscientização, reconstrução e levar esperança, vida e cura para as pessoas, incentivando e falando sobre a preciosidade e importância da saúde (física e emocional) e mostram que carregamos em nosso corpo oito vidas.
Northon e sua esposa Kely, começaram um espetáculo em 2007 :  “Começar Outra Vez", que aborda a importância do diálogo em família, para que haja a doação.
Depois veio a peça: “Diário de uma Paixão”, um romance divertido e consciente que fala sobre a prevenção e tratamentos da Cistite Intersticial.
E uma outra peça, “O Pequeno Grande Doador", que aborda o tema, foi baseado no livro com o mesmo nome, escrito por Fabrício Correia e ilustrado por Maurício de Souza.
Nesta última, Kely fez a adaptação para o teatro, com o intuito de ajudar e explicar a importância da doação de medula óssea para crianças de 06 a 12 anos.

Agora uma novidade em primeira mão!

Em breve (ainda em 2018), haverá a estréia de: “Doces Lembranças", onde a talentosa Kely, após 10 anos de sucesso com a primeira parte da história com Northon sobre o transplante (com a peça "Começar Outra Vez"), interpreta agora um texto inédito, de sua autoria, onde falará sobre o tema da segunda parte da história: A Hepatite.

Ao receber a doação de um coração, Northon teve 4 anos de vida ao lado de sua família, porém com a descoberta tardia da hepatite, veio a falecer em Dezembro de 2007.
Com essa triste experiência, nasceu o texto e a peça.
A história fala de superação, romance e a doença.
Nos mostra a diferença entre pessoas que fazem exames preventivos e as que não fazem.

Outro evento importante é a peça: “Algo extraordinário: Vida! Um coração que também era meu", onde através de um texto poético, ela conta como foi a espera pelo coração de Northon, o pós-operatório e os cuidados para uma vida com qualidade, abrangendo toda a família,
Na peça, também é apresentado um vídeo com pessoas que conseguiram, e outras não, uma doação de órgãos. Nele, tem o Northon junto à família da pessoa que doou o coração, em um bate papo familiar e com um profissional de saúde. Ao contar sua história, neste vídeo que é exposto ao final das peças, Kely fica à disposição da platéia para perguntas sobre transplante, hepatite, superação e curiosidades sobre ele.

As peças teatrais do Instituto Renascimento, foram escritas e produzidas para serem exibidas desde teatros com os mais altos recursos, até em locais mais humildes com escassez destes, como por exemplo, presídios e comunidades carentes.
A informação é levada a todos os lugares.

Detalhe:
- Em alguns lugares, é oferecido gratuitamente testes de hepatite, com diagnóstico feito na hora, realizado por profissionais de saúde.
Caso a pessoa precise de tratamento, a instituição já providencia tudo.
Os testes são realizados em parceria com instituições sérias e conceituadas na área da saúde.
Conhecimento, prevenção, tratamentos de doenças - essas são as informações transmitidas pelo Instituto Renascimento e com isso, sonhos e esperanças são restaurados!
Seja um doador do Instituto Renascimento, pois as atividades geram custos básicos para serem realizadas.

Você, sua empresa, sua família, farão parte de um belo projeto, que agrega valores culturais, sociais e de saúde.

Maiores informações sobre as peças, doações, etc..

Contato: Kely Nascimento

Hoje, a peça “Começar Outra Vez" continua, mas agora com o ator e produtor Robson Vellado dividindo o palco.
Super recomendo!

E, para finalizar essa matéria tão importante e inspiradora, cito aqui frases dos próprios autores dessa comovente e emocionante história de amor:

“Todo mundo tem problema, mas dá pra doar.”
Northon Nascimento – Setembro de 2007

“As mudanças em nossas vidas acontecem quando algo extraordinário explode diante dos nossos olhos e faz com que o quadro da nossa história tenha novas cores abrupta e inesperadamente.”
Kely Nascimento

Adriana Oliveiras


Kely Nascimento com Northon Nascimento em 2007
Kely Nascimento e Robson Vellado em 2017



Northon Nascimento e Kely Nascimento com a família do doador








Robson Vellado, Adriana Oliveiras e Kely Nascimento


Muito feliz e emocionada ao assistir a peça


ONG Amor Rosa que cuida de mulheres com câncer









Bonecas vendidas no Instituto Renascimento







Um comentário:

  1. Adriana Oliveiras ...

    Que linda matéria, as palavras na sua mão se tornam sintonia de uma música deliciosa.

    A doação de órgãos e muito importante para a família que recebe e para a família que doa, saber que seu ente querido ainda vive dentro dentro dr alguem, trazendo vida e vida com milagre é gratificante e acolhedor!!!

    Vc como sempre maravilhosa!

    #gratidao

    ResponderExcluir